Voltar à lista dos artigos

Junglinster Uma cidade a contruir o futuro

A 20/09/2017
1 / 2
Situada a menos de 20 quilómetros da capital do Luxemburgo e com mais de 7650 habitantes, Junglinster é uma cidade que conjuga serviços e qualidade de vida aos moradores.
Composta por 12 localidades (Altlinster, Blumenthal, Beidweiler, Bourglinster, Eisenborn,
Eschweiler, Godbrange, Gonderange, Graulinster, Imbringen, Junglinster e Rodenbourg), Junglinster tem assistido a um crescimento demográfico impressionante. Em 1950, a comuna não tinha mais de 1000 habitantes, mas nas últimas décadas os números mudaram. Em 1980 tinha 2500, em 2000 o número atingia a barreira dos 5000 e atualmente estão recenceadas 7650 pessoas, “o que significa um aumento que varia entre os 150 e 200 habitantes por ano”, explica Romain Reitz, burgomestre de Junglinster. Estão representadas 83 nacionalidades, sendo que 63% são luxemburgues, 8.15% portugueses e 5.5% de franceses. Belgas e alemães representam 4.46 e 3.77%, nomeadamente.
A situação geogáfica (17 quilómetros da cidade do Luxemburgo), uma boa rede de transportes e vias de comunicação e um estilo de vida satisfatório explicam o dinamismo da cidade.

Todos os serviços congregados

Creches, tempos-livres (do francês maison relais), três escolas primárias e de ensino básico, um liceu inaugurado em 2014 com ensino geral e profissional (com horário entre as 7h e as 18h com equipamento informático de última geração), Junglinster assume-se como uma cidade preparada para receber as famílias. No ano letivo de 2018/19, o liceu Lënster vai receber uma escola europeia.
A oferta de serviços, comércio e infraestruturas garantem qualidade de vida a quem procura a localidade para viver. O centro “Laanggwiss” e o novo parque de atividades e comércio, o “Lënster Bierg”, tem uma arquitetura moderna e contemporânea e são locais aprazíveis para os residentes fazerem as suas compras. Há também grande oferta de serviços bancários e seguros no centro da cidade.
Em termos de serviços de saúde, Junglinster tem um número satisfatório de médicos, pediatras, farmácias e fisioterapeutas capaz de dar resposta aos residentes. Além disso, a rede de transportes públicos é eficaz. Junglinster quer congregar todos os serviços de modo a que os habitantes não precisem deslocar-se à capital para tratar de burocracias ou outras situações.

Qualidade de vida para todos

Golf, dois campos de futebol, cinco campos exteriores para a prática de ténis, uma piscina, ginásios e um centro desportivo recentemente inaugurado, fazem de Junglinster uma localidade virada para a prática desportiva. De salientar que está prevista a contrução de mais dois centros desportivos.
“Am Duerf”  o centro cultural da cidade e acolhe exposições, espetáculos e variadas atividades lúdicas e culturais para todas as idades.
A cidade oferece também aproximadamente 230 quilómetros de circuitos pedestres, no meio da natureza e também ciclovias.
Uma igreja de estilo barroco, a magnífica quinta construída no século XVIII e que é hoje sede da comuna e o célebre castelo medieval Bourglinster, que foi renovado pelo Estado e que tem salas de exposições e um restaurante. O património arquitetónico e histórico de Junglinster coabita harmoniosamente com a construção moderna, respeitando sempre a ruralidade da zona. Além disso, há a preocupação constante comas novas normas de contrução.
Para responder ao crescimento demográfico, há múltiplos projetos em carteira para serem realizados nos próximos ano. “Acabámos de contruir um novo empreendimento, o PAG”, revelou Romain Reitz, adiantando que “estão disponíveis 90 hectares para construção”, avançou, mostrando o potencial da zona.
Junglinster figura como comuna CDA, uma convenção entre as localidades e o Estado que “permite o aumento do índice de construção, ao mesmo tempo que reduz os custos de vida dos habitantes”, continuou o responsável. Estas políticas de incentivo são estudadas caso a caso e de acordo com os agregados familiares. 
O projeto “JongMëntt” tem 3.5 hectares e tem 150 fogos habitacionais. Há também dois terrenos livres nos quais vão-se construir habitações individuais, 33 apartamentos, assim como espaços comerciais. As obras estão a cargo da empresa Tracol e SNHBM.
O projeto “Miluus&Lanius”, no centro de Junglinster, prevê a construção de 37 casas para pessoas de mobilidade reduzida e para a terceira idade com comércio e todos os serviços nas redondezas e com fácil acesso. O burgomestre garante que “o projeto é financiado a 100% pela comuna.”
Os incentivos à construção passam por investir em habitações com custos moderados. “Os valores dos terrenos fora do perímetro urbano são mais baixos”, garante o responsável, concluindo que ainda “há a preocupação constante de incentivar os mais jovens a investir em habitação própria.”
Ao nível de infraestruturas, o burgomestre promete aumentar o número de vagas nas escolas e creches através da construção de novos edifícios para os mais novos, optimizar a mobilidade na cidade e aumentar as vias pedonais.
“Vão ser disponibilizados 5.7 hectares aos comerciantes e produtores  de forma a aumentar também o comércio”, disse Romain Reitz. “A ideia  permitir que os residentes vivam e trabalhem nas redondezas e que tenham qualidade de vida, “não sendo preciso deslocarem-se à capital para tratar de burocracias”, concluiu.
 
Voltar à lista dos artigos